Pular para o conteúdo principal

O Projeto

APRESENTAÇÃO



MUSAS – Museu de Street Art Salvador




MUSAS PÓLEN - O momento atual

*Polinização é o transporte de grãos de pólen de uma flor para outra, ou para o seu próprio estigma. É através deste processo que as flores se reproduzem.
Depois de dois anos atuando na comunidade do solar do unhão, percebemos que as atividades podiam ser dinamizadas para espaços próximos, bairros vizinhos mantendo o papel do grupo, que é fortalecer e dinamizar a produção de outras flores (que é como chamamos os núcleos e ajuntamentos de pessoas) sem nos ater a um único lugar. Formas simples de apoiar, realizamos atividades de pintura, mutirões de graffiti, atividades recreativas em datas domo natal e dia das crianças, cinema, bate papos, além de utilizarmos estratégias de comunicação já aplicadas no MUSAS, como criação de paginas do Facebook como ferramenta de publicidade e visibilidade, design de logomarcas para projetos e associações e outras ações que acabaram gerando uma aproximação cultural e artística entre a comunidade do Solar do Unhão, a Gamboa de Baixo e a Ladeira da Preguiça.

Os primeiros  projetos que MUSAS aplica a ideia do Pólen até o momento:
- Projeto Que ladeira é Essa Que tem sede na ladeira preguiça e tem o intuito de revitalização do local, biblioteca aberta, aulas de percussão, além de oficinas de artes e atividades esportivas. Tem realizando também a pintura dos casarões antigos como forma de devolver autoestima ao bairro e aos moradores.
- Projeto Muda Gamboa Que nasceu na comunidade da Gamboa de Baixo, idealizada pelos moradores com a missão principal de trazer atividades culturais, esportivas e lúdicas, para o bairro, além de ações como mutirões de limpeza, mutirões de pintura, e outras atividades que possam colaborar com a melhoria do mesmo.
- Ocupação Cidade de Plástico, Periperi Que apoia ações fundamentais do grupo O Terreiro Arte Sagrada, que se propõe a atividades ligadas a música e a cultura, além de promover a anos as atividades do dia das crianças e outras manifestações.

Nosso papel hoje
Inspirar o conhecimento de uma geração sobre a sua capacidade de trazer melhorias para uma cidade repleta de necessidades, contextualizar e atestar papel do fazer artístico nas paisagens urbanas, tendo como compromisso, acima de tudo a crença no poder da arte e da cultura para o desenvolvimento do ser humano, através da soma de ações individuais apoiadas por diferentes núcleos. Na presença do descaso, e da falta de perspectivas, somos um coletivo que pensa e realiza ações em prol da melhoria do seu ambiente - o micro e o macro. Essas inquietações só se abrandarão quando observarmos que os referenciais socioculturais e políticos foram ampliados e trouxeram melhores condições às estruturas da comunidade, inspirando e sendo agente multiplicador para ações semelhantes em outros espaços.


COMO TUDO COMEÇOU?
O primeiro contato com a comunidade do Solar do Unhão surgiu a partir do convite de Tico Sant'ana, mestre de capoeira conhecido na comunidade. Nesse balanço e no toque do berimbau, o coletivo Nova10ordem descobriu um lugar mágico, com paredes imensas e cheio de possibilidades de pintura para uma comunidade bastante receptiva. O coletivo passou 3 anos tendo experiências com mutirões de grafite,  em diversas comunidades de Salvador, e há algum tempo estava sentindo a necessidade de se firmar para conquistar uma comunidade por inteiro. Os mutirões sempre foram realizados através da convocação de grafiteiros, artistas circenses, e voluntários ligados a área de saúde como ginecologia, higiene pessoal, odontologia, entre outras. Os grafiteiros convocados se ocupam com a parte estética da comunidade, e levam de casa seu próprio material (o spray é um material com um custo médio de 18,00 por lata), os artistas circenses são responsáveis pela magia, os voluntários ligados a saúde fazem oficinas, e todos interagem em um dia inteiro, brindado por uma super feijoada servida no almoço para quem quiser chegar. Massaranduba, Saramandaia, Cidade de Plástico (Periperi), Uruguai, Ribeira, ocupação sem teto no Bonfim, são algumas das comunidades que já realizamos alguns mutirões. Ao se instalar na comunidade do Solar do Unhão, a intenção do coletivo é gerar ali um organismo vivo, que poderá se tornar futuramente uma célula independente, que permita que o coletivo expanda o tipo de ação para outras comunidades.

Postagens mais visitadas deste blog

Expo Fernando Borges

relatos de Fernando Borges enquanto foi hospedado no MUSASDepois de mais um ano de trabalho em São Paulo, chegam minhas férias e tudo que eu queria era um lugar tranquilo. Tudo acertado pra passar 30 dias na Chapada Diamantina. ANtes de ir, meu irmão baiano, Eládio Machado, me diz que existe um projeto chamado MUSAS em Salvador, eu que eu deveria ir conhecer. Decidi então, ao invés de chegar em Salvador e pegar um ônibus pra Chapada, ficaria uns 2 dias na capital baiana. Chego e vou direto pro Pelourinho, pra me hospedar num albergue. Depois de um passei pela região e todo barulho que tem em cada esquina, só queria ir embora da cidade. A impressão era de que as férias não tinham começado. No dia seguinte, resolvi ir visitar o MUSAS. Não quero me alongar muito, mas pra se ter uma idéia de como fez bem pra mim, acabei ficando 10 dias em Salvador. Além da agradabilíssima companhia de todos do MUSAS, que me adotaram, dia a dia fui me apaixonando pelo lugar, que tem talvez uma das vistas …

A Sereia que nada por Salvador

Quando eu morrer
Voltarei para buscar os instantes
Que não vivi junto ao mar
Nhem-nhem-nhem
Nhem-nhem-nhem
Ô xoronddô É o mar,é o mar
Fé-fé xorondô. (Vinicius de Moraes)
Pra quem nasceu a beira mar ,  criado no cheiro da maresia todo dia, e nos mariscos como sabor constante,para aqueles que quando filhotes  de ser humano esse nosso povo podre bebeu água sem querer sabe que  cada onda  tem uma sereia, cada amor um sal na boca...  dentro d´agua em rebanhos de sereias sempre penso que ela chega com as mantas de pititinga que me cerca ao mergulhar, as vez nem com a chuva forte e doce me traz o momento de abandonar o beijo salgado.. o povo semi nu deitado no colo dela sabe por causa da musica de todas as sereias nos ouvidos que somos donos da roma negra, na costa do nosso mar a sereia tem vários nomes Dandalunda, Janaína,Marabô,  Princesa de Aiocá Inaê, Sereia, Mucunã Maria, Dona Iemanjá e varias casas, no mês de março ela ta grande, e na lua da pra tirar os frutos de dentro dela... tão triste ver co…

Dia 23 de setembro impressões Julio Costa

Fim de linha da Massaranduba.

O nosso povo passa fome e eles com o malote, escutando raiz irredutível, no evento do fim de linha de massaranduba  Thais pensou que essa frase era diferente, nosso povo passa fome  e eles comem ”A LOT” ou seja eles comem tudo, eles quem? ,me perguntava eles quem? Já que nessa oração sabíamos bem quem era o povo e quem passava fome, mais quem comi tudo, quando soubermos e dissermos a todos quem come tudo acredito que algo ira acontecer, fim de linha fim do regime, logo contaremos essa historia, um bando de meninos homens dançando e celebrando a vida,  negros na sua maioria, como é comum só se vê na Bahia, só se vê  no brasil, só se vê na Africa, os exemplos de cada um  fazendo seu movimento em prol do que acredita, fortes tipicamente, característica da grande comunidade, bonitos de pele limpa, jovens sadios e com muita energia, lideres no que se propõem a fazer,  lindas por todos os cantos, e como é normal fortes, tremi de medo ao pensar na força que contr…