Pular para o conteúdo principal

Graffiti que anda Troll box,

tudo começa quando aprendemos a materializar nossos sonhos e nossos amigos invisíveis tudo começa quando queremos andar com os encantados. 

mas aqui na nossa historia começa mesmo é quando Bigod vai a itacaré, para dar uma oficina de graffiti na casa dos bonecos (site) e partecipa das outras oficinas, aprendendo ali faz os grandes bonecos,  voltou para salvador completamente entusiastas do graffiti que podia andar e nos proteger,   
Flyer do evento que bigod foi festa que acontece todos os anos.
Julio um ano antes foi a festa da ajuda em  de cachoeira e tinha visto o Mandu que circulava pela festa cantando e aquela imagem ficou  na cabeça, também encantou pela a historia que pode ser vista no vídeo a seguir.

depois desse ambiente extremamente inspirador, era só fazer as roupas e ir pras festas,  dessa maneira titubeando as escuridões da novidade 
Com as explicações de bigod do que eles tinhão visto la em Itacaré começamos a fazer as primeiras produções de bonecos usando baldes e papie mache.
primeiros bonecos feitos para a festa de São Braz.
a cultura dos bonecões já estava perdida na cidade tinha 20 anos que não pisava um mandu. 

nas nossas pesquisas fomos falando com uns descobrindo um nome aqui outro ali, descobrimos por meio de pesquisas e conversas que Os invólucros sempre protegeram nossos povos sempre deram força, estavam quase para  se acabar, poucos eram os herois que seguravam essa cultura na unha como MIRTO pai de uma amiga, o povo  sempre teve a cultura de pintura facial, mascaras e grandes bonecos para se proteger, e se diverti, 

                            bonecos de recife                            confecção de mascaras 

Mascarados de ACUPE
  os índios e os africanos, tambem  trouxeram as grandes cabeças rituais, e as mascaras para nossas raízes,  posso citar o caso dos ticunas onde Na esfera ritual, os suportes mais representativos da arte gráfica são as máscaras, os escudos, as paredes externas do compartimento de reclusão da moça-nova e o corpo. 



Mascara ritual Ticuna
Na confecção das máscaras, os Ticuna utilizam como matéria-prima básica entrecascas de determinadas árvores e os motivos ornamentais podem estar distribuídos pela vestimenta inteira. Na parte superior ou “cabeça”, a decoração serve para salientar as feições da entidade sobrenatural, mas é nas entrecascas com as quais cobrem o corpo que se observa um maior número de desenhos.


Para muitos dos povos africanos As máscaras  simbolizam a diversidade de manifestações culturais em muitos povos do continente.
Mascaras rituais africanas.

 São usadas em rituais de iniciação ou passagem, cerimônias religiosas, funerais, entre outros eventos de vital importância para essas sociedades. Elas estão no epicentro da identificação dos povos com seus antepassados e suas tradições, possuindo significados que ultrapassam a fronteira de seu valor estético.
temos também o lado extremamente espiritual dos trajes
 Culto ao baba EGUM
veja o video e entenda que a roupa vai muito alem. 
  

vimos que as mascaras estavam presentes na nossa infancia Vendo televisão e comendo farinha da vovô com ki suco ou bolinho de chuva de tarde Fomos criados vendo homens com mascaras de leões e tigres na TV também cavaleiros de armaduras, alem dos grandes monstros japoneses. mas não conseguíamos identificar mais onde estavam esses costumes na nossa contemporaneidade baiana, 


Lio mam serie de tv
metemos a mão na massa 

as primeiras Mascarras rituais que Julio Fez, com sapatos com a intenção de proteção da casa
(leo costa foto)     mascaras de festa, e de guerra. 


(leo costa foto)                      Cavalo de pica pau bumba meu boi.

foram muitas experimentações ate que chegamos o suporte da caixa de papelão depois das primeiras brincadeiras e tentativas achamos inúmeras possibilidades de cortes ate que prisk chegou ao que e chamamos de MUSAS troll Box,


O  original primeiro troll Box feito no festival de verão

novos tipos de cortes e usamos papelão e arame na confecção e pintamos com spray.

 onde alem do resgate visamos a busca por proteção pessoal alem de busca das raízes, tentamos fazer os Box ou caixas para o uso coletivo e voltado para o ato de travesti-se...

pela primeira vez bigode vio seu Sapo Caminhando.
nosso universo é repleto de criaturas miticas sapos gatos homens gigantes elefantes e  minotauros lendas por isso essas  são figuras que saem das caixas e dão vida ao nosso graffiti...


                                                  Elefante e menino         Minotauro então quando você ver uma caixa cortada saiba que saio da nossa oficina de ideias. nos tambem começamos a divulgar a pratica e fazer oficinas por ai com o intuito de que surgissem mais outros bonecos e involucros
 oficina de troll box Monhinhos giros de art
estamos preparando o grande menino em breve pode esperar.

Postagens mais visitadas deste blog

Expo Fernando Borges

relatos de Fernando Borges enquanto foi hospedado no MUSASDepois de mais um ano de trabalho em São Paulo, chegam minhas férias e tudo que eu queria era um lugar tranquilo. Tudo acertado pra passar 30 dias na Chapada Diamantina. ANtes de ir, meu irmão baiano, Eládio Machado, me diz que existe um projeto chamado MUSAS em Salvador, eu que eu deveria ir conhecer. Decidi então, ao invés de chegar em Salvador e pegar um ônibus pra Chapada, ficaria uns 2 dias na capital baiana. Chego e vou direto pro Pelourinho, pra me hospedar num albergue. Depois de um passei pela região e todo barulho que tem em cada esquina, só queria ir embora da cidade. A impressão era de que as férias não tinham começado. No dia seguinte, resolvi ir visitar o MUSAS. Não quero me alongar muito, mas pra se ter uma idéia de como fez bem pra mim, acabei ficando 10 dias em Salvador. Além da agradabilíssima companhia de todos do MUSAS, que me adotaram, dia a dia fui me apaixonando pelo lugar, que tem talvez uma das vistas …

A Sereia que nada por Salvador

Quando eu morrer
Voltarei para buscar os instantes
Que não vivi junto ao mar
Nhem-nhem-nhem
Nhem-nhem-nhem
Ô xoronddô É o mar,é o mar
Fé-fé xorondô. (Vinicius de Moraes)
Pra quem nasceu a beira mar ,  criado no cheiro da maresia todo dia, e nos mariscos como sabor constante,para aqueles que quando filhotes  de ser humano esse nosso povo podre bebeu água sem querer sabe que  cada onda  tem uma sereia, cada amor um sal na boca...  dentro d´agua em rebanhos de sereias sempre penso que ela chega com as mantas de pititinga que me cerca ao mergulhar, as vez nem com a chuva forte e doce me traz o momento de abandonar o beijo salgado.. o povo semi nu deitado no colo dela sabe por causa da musica de todas as sereias nos ouvidos que somos donos da roma negra, na costa do nosso mar a sereia tem vários nomes Dandalunda, Janaína,Marabô,  Princesa de Aiocá Inaê, Sereia, Mucunã Maria, Dona Iemanjá e varias casas, no mês de março ela ta grande, e na lua da pra tirar os frutos de dentro dela... tão triste ver co…

Dia 23 de setembro impressões Julio Costa

Fim de linha da Massaranduba.

O nosso povo passa fome e eles com o malote, escutando raiz irredutível, no evento do fim de linha de massaranduba  Thais pensou que essa frase era diferente, nosso povo passa fome  e eles comem ”A LOT” ou seja eles comem tudo, eles quem? ,me perguntava eles quem? Já que nessa oração sabíamos bem quem era o povo e quem passava fome, mais quem comi tudo, quando soubermos e dissermos a todos quem come tudo acredito que algo ira acontecer, fim de linha fim do regime, logo contaremos essa historia, um bando de meninos homens dançando e celebrando a vida,  negros na sua maioria, como é comum só se vê na Bahia, só se vê  no brasil, só se vê na Africa, os exemplos de cada um  fazendo seu movimento em prol do que acredita, fortes tipicamente, característica da grande comunidade, bonitos de pele limpa, jovens sadios e com muita energia, lideres no que se propõem a fazer,  lindas por todos os cantos, e como é normal fortes, tremi de medo ao pensar na força que contr…