Pular para o conteúdo principal

A historia do Menino grande de salvador


 para Você sempre sempre se perguntou quem é ele.



 Esse menino nasceu pela rua vagal de  no chão e bermuda da xicrone, cheio de cor, ele era um menino ou uma menina ninguém sabia ao certo, mais ele era o milagre do povo, era lindo, sua camisa levava o próprio mar cheio de peixinhos laranjas amarelos e vermelhos,  tinha nascido subúrbio, ribeira pedra furada,  gamboa no solar e na ladeira da preguiça. São braz, Vila esperança cidade de plastico.



seu barco hora um trem todo esculhambado, hora a própria cidade,  por vezes rema o mundo  por vezes rema canoa as vez rema as cores, nas horas vagas...

pescador basta apenas o peixe ser grande que ele pega no merguho  na gamboa, na linha no solar, de arrasto na ribeira, pesca camarão em noite de lua...

sabe cavalgar o xaréo que brilha a prata e a lus do povo, navega como se fosse ele mesmo o peixe..


empina arraia com seus amigos, e muitas vezes vê também eles serem cortados friamente pela mão assassina assim mais uma vida la vai ela!!! dessa ele escapou, na praça do gravata, vive a noite como farol de cascas velhas da cidade assassinada pelo descaso
 
e claro menino bobo desse as ladeiras da cidade todas elas de carrinho de rolimã, sabe que cada uma dessas ladeira é dele, espera que os ricos nunca tomem elas e nunca expulse seu povo. fica imaginando que se os ricos tomarem  a ladeira,ele sera proibido de brincar no que sempre foi dele.
 assim como todo negro que corre pra vencer, ele se move na cidade e por se mover na cidade eles nunca o pegarão, ele faz magia negra, sim faz a magica com a pele negra, pega um pedacinho da cidade e faz ela menos cinza centímetro por centímetro. pega um resto de comida que é dado a ele e faz a feijoada, pega a caixa de papelão e a transforma em lar. pega uma cabaça um arame caxixi e um pedaço de pau e faz a resistencia...

quer proteger os meninos do Uruguai como um simbolo de força sendo ele mesmo a favela que carrega na sua corrente de prata. nas suas costas o amor em letras azuis...
Como todo maloqueiro tem as 7 chaves da cidade,  conhece todas as portas, cordeiro do gandi tem no pulso o tempo, e oxalá na proteção...

guerreiro  menino acredita em ser um gigante , no ringue da cidade ele pode ate perde mais so se for por ponto pois ele não cai na primeira,  pode acreditar o seu adversário bem alimentado vai se cansar mais não vai nunca vencer. pois esse moleque luta por uma causa.




nos pés o mangue... 
e nas mãos o próprio samba...

 as vezes quando consegue dormi sem medo dos maus que a noite traz, ele sonha que um muleque de quebrada pode ser o maior baiano da Bahia ainda que em sonho ele tem brinquedos mil, pode tudo, que tem mãe pai  e amor,  que tem suquinho, no sonho os homens não eram escravos.  Mais é só um sonho ao acorda ele se vê só com a sandália velha e a roupa que rasga o mundo, ele sera culpado como criminoso ainda criança...

Seu pai talvez por sorte um carregador de feira que nem sabe que ele existe, que se soubesse teria criado ele com todo sacrificio, que a força que o menino herdou vem de tudo que ele carrega na feira.

Sua Mãe talvez seja qualquer  uma mais ele gosta de dizer que é filho da rua, rua essa que ele passa e ve como uma santa, que todos chamavam de louca que que esta ali com seu longo vestido de rua que tem seus cães como proteção. mendiga...

sera que ele ainda acredita na esperança?
mais é claro pois seu coração é uma pedra preciosa uma esmeralda, um rubi ou uma safira ele, nunca nunca perderá a  esperança no sorriso na cara e no punho de aço e no nariz de palhaço.

não a redução a maioridade penal, sa porra so vai matar nossos filhos e nossas crianças.

Postagens mais visitadas deste blog

Expo Fernando Borges

relatos de Fernando Borges enquanto foi hospedado no MUSASDepois de mais um ano de trabalho em São Paulo, chegam minhas férias e tudo que eu queria era um lugar tranquilo. Tudo acertado pra passar 30 dias na Chapada Diamantina. ANtes de ir, meu irmão baiano, Eládio Machado, me diz que existe um projeto chamado MUSAS em Salvador, eu que eu deveria ir conhecer. Decidi então, ao invés de chegar em Salvador e pegar um ônibus pra Chapada, ficaria uns 2 dias na capital baiana. Chego e vou direto pro Pelourinho, pra me hospedar num albergue. Depois de um passei pela região e todo barulho que tem em cada esquina, só queria ir embora da cidade. A impressão era de que as férias não tinham começado. No dia seguinte, resolvi ir visitar o MUSAS. Não quero me alongar muito, mas pra se ter uma idéia de como fez bem pra mim, acabei ficando 10 dias em Salvador. Além da agradabilíssima companhia de todos do MUSAS, que me adotaram, dia a dia fui me apaixonando pelo lugar, que tem talvez uma das vistas …

A Sereia que nada por Salvador

Quando eu morrer
Voltarei para buscar os instantes
Que não vivi junto ao mar
Nhem-nhem-nhem
Nhem-nhem-nhem
Ô xoronddô É o mar,é o mar
Fé-fé xorondô. (Vinicius de Moraes)
Pra quem nasceu a beira mar ,  criado no cheiro da maresia todo dia, e nos mariscos como sabor constante,para aqueles que quando filhotes  de ser humano esse nosso povo podre bebeu água sem querer sabe que  cada onda  tem uma sereia, cada amor um sal na boca...  dentro d´agua em rebanhos de sereias sempre penso que ela chega com as mantas de pititinga que me cerca ao mergulhar, as vez nem com a chuva forte e doce me traz o momento de abandonar o beijo salgado.. o povo semi nu deitado no colo dela sabe por causa da musica de todas as sereias nos ouvidos que somos donos da roma negra, na costa do nosso mar a sereia tem vários nomes Dandalunda, Janaína,Marabô,  Princesa de Aiocá Inaê, Sereia, Mucunã Maria, Dona Iemanjá e varias casas, no mês de março ela ta grande, e na lua da pra tirar os frutos de dentro dela... tão triste ver co…

Dia 23 de setembro impressões Julio Costa

Fim de linha da Massaranduba.

O nosso povo passa fome e eles com o malote, escutando raiz irredutível, no evento do fim de linha de massaranduba  Thais pensou que essa frase era diferente, nosso povo passa fome  e eles comem ”A LOT” ou seja eles comem tudo, eles quem? ,me perguntava eles quem? Já que nessa oração sabíamos bem quem era o povo e quem passava fome, mais quem comi tudo, quando soubermos e dissermos a todos quem come tudo acredito que algo ira acontecer, fim de linha fim do regime, logo contaremos essa historia, um bando de meninos homens dançando e celebrando a vida,  negros na sua maioria, como é comum só se vê na Bahia, só se vê  no brasil, só se vê na Africa, os exemplos de cada um  fazendo seu movimento em prol do que acredita, fortes tipicamente, característica da grande comunidade, bonitos de pele limpa, jovens sadios e com muita energia, lideres no que se propõem a fazer,  lindas por todos os cantos, e como é normal fortes, tremi de medo ao pensar na força que contr…